O comércio eletrônico se expandiu consideravelmente nos últimos anos. O crescimento acelerado do e-commerce, aliado às projeções otimistas, despertou em empresas, que ainda não investiam no setor, o interesse em criar uma loja virtual. Considerando que ficar de fora desse mercado significa perder boas oportunidades, nós concordamos com elas!

O comércio eletrônico brasileiro cresceu 12% no ano passado, de acordo com a pesquisa E-commerce Radar 2017, divulgada pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

Impulsionado por fatores como a popularização da internet e dos dispositivos mobile, além da comodidade e diversificação na oferta de produtos e preços, o setor rompeu até mesmo os limites da crise econômica. As projeções indicam que os resultados serão ainda mais expressivos em 2018.

O fato é que as empresas perceberam que criar uma loja virtual pode ser uma ótima estratégia para ampliar os negócios. Diante disso, surge a necessidade natural de conhecer os modelos de e-commerce disponíveis hoje no mercado. Afinal, antes de investir em uma ferramenta ou plataforma para se lançar no mundo virtual, é preciso conhecer qual o modelo ideal para sua empresa. É sobre isso que vamos conversar!

Existem no mercado atualmente várias plataformas disponíveis para criar uma loja virtual. A grande oferta pode gerar até mesmo indecisão na hora de escolher o modelo ideal. No entanto, a maioria pode ser categorizada dentro de três grandes grupos. Veja agora as especificidades de cada um deles e as vantagens e desvantagens de cada modelo.

Modelo de plataforma gratuita

Com certeza você já teve algum tipo de contato com esse modelo de e-commerce. São aqueles grandes sites nos quais se pode montar pequenas lojinhas virtuais, como o famoso Mercado Livre, Toda Oferta, eBay, Amazon, Extra.com.br, Livraria Saraiva online e Elo 7.

Muitos empreendedores em comecinho do negócio optam por esse modelo, que chamamos de Marketplace. Isso porque o investimento inicial é baixo e normalmente paga-se apenas uma porcentagem pelos produtos vendidos.

As operações também são bem simples, dispensando custos com equipe de vendas, profissionais de tecnologia e manutenção de plataforma. O vendedor também negocia direto com o cliente detalhes da venda, pagamento e entrega.

Apesar de ser gratuito, esse modelo é limitado e visto como pouco profissional. É difícil conquistar a credibilidade e, somente depois de um alto número de transações bem-sucedidas, o vendedor consegue estabelecer uma reputação confiável dentro da plataforma.

Plataforma alugada para criar uma loja virtual

Esse é o modelo de e-commerce ideal para quem já tem uma marca consolidada, conhecimento de mercado e não quer (ou não pode) investir em uma loja virtual própria. As operações nas plataformas alugadas normalmente são simples também e o custo é basicamente a mensalidade paga ao provedor dos serviços.

Existem muitas empresas que oferecem esse tipo de serviço atualmente, como a Sophí. O custo-benefício é muito bom, principalmente para pequenos e médios empresários que podem realizar as ações dentro da loja virtual sem se preocupar com a programação. Toda a parte de tecnologia e manutenção fica por conta do provedor do serviço. O cliente ainda pode escolher diferentes planos de acordo com suas demandas e necessidades.

Ao criar uma loja virtual em uma plataforma alugada, você poderá escolher um layout que mais se identifique com seu negócio. Também poderá customizar a aparência, escolher temas, carregar sua logomarca, configurar páginas e cadastrar seus produtos e serviços.

Oferecer segurança nas transações é um fator decisivo para quem vende na internet. Essa também é uma das vantagens da plataforma alugada. Todas as soluções são testadas e garantidas para que as transações sejam completamente seguras. Esse é um diferencial para sua empresa.

Outra vantagem é que essas plataformas normalmente já são preparadas para oferecer a possibilidade de integração com sistemas de gestão, caso você opte por usar algum. Além disso, oferecem suporte qualificado para seus usuários, ou seja, não é preciso investir em equipe de tecnologia e TI para manter uma loja virtual em uma plataforma alugada. Isso facilita a gestão da loja e alivia os custos da empresa.

Algumas plataformas oferecem ainda a possibilidade de compra do código fonte da loja, caso o empresário resolva, em algum momento, criar uma loja virtual do zero ou fazer qualquer outro tipo de migração de sistema. Assim, ele não perde o investimento que já havia feito e deixa apenas de pagar o aluguel para se tornar dono da loja.

Se preferir, pode contratar uma agência de Marketing Digital para configurar a loja de acordo com as necessidades do seu negócio. Profissionais especializados também podem ajudar na integração da loja virtual com o site ou blog e outras funcionalidades.

Leia também: Criação de marca e identidade visual é essencial para o sucesso de uma empresa

Plataforma personalizada

O modelo de plataforma personalizada ou própria é completamente planejado, desenvolvido e mantido por um programador ou uma agência de Marketing Digital. É o modelo ideal para grandes varejistas já estabelecidos no mercado e que podem investir um pouco mais.

O desenvolvimento parte do zero, sendo que é possível decidir até os mínimos detalhes relacionados ao layout, funcionalidades e operações. No entanto, os custos para se criar uma loja virtual do zero podem ser bem altos.

Pois veja bem, não se trata apenas da aparência do site ou das seções que os clientes acessam para efetuar suas compras, considerando UX (experiência do usuário), layouts mobile-friendly (responsividade), otimização das imagens, carregamento rápido, entre outros fatores.

Para criar uma loja virtual personalizada é preciso pensar em layouts mobile-friendly, arquitetura da informação e experiência do usuário.

É preciso desenvolver um sistema de cadastro para produtos ou serviços, integrar softwares de pagamento (cartões, paypal, pagseguro etc), um sistema de segurança, e muitas outras ferramentas. Por isso, é deve-se contar com um programador de plantão para resolver problemas técnicos, e com uma logística adequada – e isso gera custos para o negócio.

Portanto, criar uma loja virtual personalizada implica em muitos detalhes e talvez você nem conheça todos. É muito importante, ao optar por esse modelo, contar com ajuda de uma agência de Marketing Digital para desenvolver o layout, analisar a estrutura da informação, SEO e outros fatores essenciais para o sucesso da loja.  

Veja ainda: Como fazer meu site aparecer no Google?

Conclusão

Independente do modelo escolhido, tenha em mente que é importante se planejar antes de criar uma loja virtual. Estudar seu mercado, entender seu negócio, estabelecer objetivos, e fazer investimentos adequados para manter a saúde financeira da sua empresa.

Existe ainda a possibilidade de usar modelos híbridos. Nada lhe impede de criar uma loja virtual em uma plataforma alugada ou própria e vender por meio dos marketplaces.

Você também pode solicitar o auxílio de uma agência especializada em Marketing Digital para investir no modelo ideal para seu negócio. Se optar por uma plataforma alugada ou personalizada, terá ajuda especializada para analisar as vantagens e desvantagens em cada caso e tomar a melhor decisão para sua empresa.

Precisa de ajuda para criar uma loja virtual? Converse com quem entende tudo de Inbound Marketing! Somos uma agência especializada, com profissionais certificados para desenvolver e manter suas estratégias, independentemente do modelo de e-commerce escolhido! Nos acompanhe também pelo Facebook e ou Instagram.